Texto por Colaborador: Redação 02/10/2020 - 19:00

A Rádio Bandeirantes conversou na noite desta quinta-feira com Lauro Hagemann, vice de finanças do Inter. O diretor comentou a situação financeira do clube com a crise da pandemia. A nova projeção orçamentaria foi aprovada com ressalvas pelo Conselho Deliberativo do clube. O novo calculo prevê um aumento na projeção de deficit de 13 milhões para 63 milhões. O motivo alegado é a queda de diversas receitas em razão da pandemia. Confira os principais trechos.

TEXTO:

As dificuldades financeiras com o panorama atual e motivos do aumento do déficit: "O mundo inteiro sofre os impactos de uma pandemia, nos últimos 100 anos o mundo não tinha vivência, experiência de um processo como esse, esse ano foi de extrema dificuldade para todos, não só para o esportivo. Então porquê essa distância entre o projetado (orçamento) no final do ano passado e essa proposta de agora: porque só de bilheteria - sem público no estádio - perdemos mais de 17 milhões de reais, então dá para perceber que todas as receitas que nós perdemos nesse período nós não iremos mais recuperar. O cenário que nos mostra hoje é uma realidade bastante difícil, complicada, por isso nosso déficit operacional aumentou bastante. Então tu tem também a possibilidade de apresentar alguma negociação de jogadores, para atenuar esse impacto, mas isso a gente não consegue controlar, não tem como ter previsão agora. Então essa proposta que foi apresentada ontem ao Conselho Deliberativo, ela trata do que a gente enxerga hoje, mas não quer dizer que até o final do ano a gente não consiga melhorar. É justamente nisso que estamos buscando agora, alternativas para reduzir esse impacto negativo nas finanças do clube".

Cortes de gastos:"Lá no início, ainda em março, o conselho de gestão determinou que todas as áreas do clube tivessem um corte de 30%, mas naturalmente nós tivemos áreas que não conseguiram fazer esse corte, porque não havia essa alternativa. Agora em outras áreas, nós tivemos. Mas o clube fez como um todo o seu dever de casa e buscou a redução máximo de tudo aquilo que podia em relação a custeio ou despesas que a gente poderia alongar ou suspender por determinado período".

Aumento de gastos no dep. de futebol: "Parece redundante falar da pandemia o tempo todo, mas ela obrigou a inserção de novos protocolos, nós tivemos em alguns casos que fretar aviões para ter uma viagem mais segura e controlada, isso é um dos exemplos para justificar um incremento de despesas, o dep. de futebol teve que adotar medidas de mitigação e combate a possíveis contaminações, e isso gera um incremento de receitas, só para citar um exemplo." 

Categorias

Ver todas categorias

Tu aprova o nome de Abel Braga para substituir Coudet até fevereiro?

Sim

Votar

Não

Votar

794 pessoas já votaram