Texto por Colaborador: Redação 29/11/2020 - 00:46

O vice de futebol vermelho, Alexandre Chaves Barcellos reconheceu a insatisfação da direção com as atuações. Lamentando o acúmulo de jogos e a ausência de Abel Braga, com Covid-19, na casamata, o dirigente não poupou críticas à equipe, mesmo que contextualizando. Confira suas principais avaliações pós-jogo em Goiânia, pela 23° rodada: 

Empate e atuação: "Realmente estamos muito abaixo. Hoje, certamente, deixamos dois pontos aqui em Goiânia, com todo respeito ao time do Atlético. É uma sequência muito ruim, todos nós admitimos. Nós tivemos o jogo sob controle, mas tivemos pouca contundência. Hoje, era jogo para sair daqui com os três pontos. Tivemos tudo para ganhar o jogo. Temos, apenas, que valorizar a entrega dos jogadores, principalmente após a expulsão do Rodrigo Moledo".

Atuações da equipe: "Poderia te alencar diversos problemas que tínhamos durante o ano. Nós realmente não estamos vivendo um bom momento. Nós não conseguimos repor a qualidade dos jogadores que estavam jogando até então. Tivemos muitos problemas durante o ano. Eu não vou concordar contigo que estamos piorando a cada jogo. Nós estamos oscilando, isso sim. Por óbvio, não estamos gostando das atuações (...) Temos que superar essa sequência, e só podemos fazer isso dentro de campo, conquistando vitórias. Teremos uma sequência que vai ser muito pesada, mas só dentro de campo que podemos resolver isso. Temos que reencontrar nosso futebol o quanto antes."

Eleição do 1° turno: "O Conselho Deliberativo é soberano, tomou a decisão e escolheu dois ilustres colorados que vão ao pátio".

Momento da equipe: "Se tu fores pensar naquele time que conseguimos colher os melhores resultados, perdemos peças que não vamos nunca conseguir repor. Quando discutimos lá atrás se nosso grupo era curto ou não, não conseguimos repor com a qualidade dos jogadores que vinham jogando. Não vou concordar que a gente está piorando a cada jogo. Estamos oscilando, isso sim".

Trabalho de Abel:  "O Abel (Braga), nós sabemos, tem um modelo de jogo diferente do modelo que estávamos aplicando até então. Isso leva algum tempo para que os jogadores se adaptem"

Duelo contra o Boca e sequência: "Nós temos que buscar o resultado dentro de campo. Agora o trabalho vai ser específico para a Libertadores. É um time que já sabemos que vai ser muito difícil de enfrentar. O Boca Juniors é um dos maiores times da América e tem apresentado um jogo muito consistente (...) Temos que olhar jogo a jogo. Vamos resolver nossas questões através da obtenção dos resultados, para reverter esse cenário".

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

576 pessoas já votaram