Texto por Colaborador: Redação 28/09/2020 - 17:00

A Rádio Bandeirantes conversou na tarde desta segunda-feira (28) com João Patricio Herrmann, vice-presidente do Inter. O dirigente vermelho falou sobre vários temas, desde a questão política e administrativa do clube, até o trabalho no campo e a rotina com o técnico Eduardo Coudet na situação do vestiário. Confira os principais trechos.

TEXTO:

Questão eleitoral afetando o clube: "O momento eleitoral é sempre bom para debater as coisas do clube. O clube tem seus problemas históricos, acho que ele passa por um período (pandemia) que atrapalhou demais o dia a dia e as questões financeiras e de futebol"

Debates nos últimos dias: "Foi uma divergência reta, olho no olho, sincera. Longe de dedo no olho, de alguém se levantar da cadeira, de ofensas pessoais. Tenho o maior respeito pelos demais membros do Conselho de Gestão. A gente trabalha em um Conselho de Gestão, as ideias são colocadas. Tivemos uma conversa áspera. Eu, em relação ao presidente e ao vice-presidente Alexandre, divergi em algumas coisas colocadas em relação à política do clube"

"Na sexta, tivemos alguns momentos complicados, tensos no clube, longe de vias de fato. Acho que o clube precisa acalmar os ânimos e focar um pouco nas suas questões internas. Essa é a minha obrigação até o dia 31 de dezembro: buscar a tranquilidade aos funcionários, para os atletas jogarem futebol".

Se a questão política está afetando o campo: "Acho que não chegou ao vestiário esse momento de discussão. Claro que ele tem a saída de pessoas importantes e, diferente de mim, lê redes sociais. A gente tem por obrigação, como eleito, dar tranquilidade a todos"

Saída de diretores: "Lamento muito a saída do Alessandro Barcellos, do Victor Grumberg, dos demais membros do Academia, do Convergência, que se retiraram da gestão. Me deixa bastante triste, são pessoas alinhadas politicamente comigo. São pessoas que defendem uma linha de clube que é aquilo que eu penso".

"O Conselho de Gestão é o cérebro do clube, é aquele que comanda tudo dentro do clube. Acho que temos de ter muita atenção na montagem dele, e vou ajudar naquilo que puder. Tenho uma admiração grande pelos demais membros do Conselho de Gestão. Vou continuar divergindo se achar que tenho que divergir, é uma obrigação minha".

O trabalho de Coudet: "O Eduardo Coudet é uma convicção do Internacional. Foi contratado para ajudar o Inter a mudar seu modelo de jogar futebol, e isso ele vem fazendo muito bem. O Eduardo (Coudet) ainda está se adaptando um pouco à língua, ao futebol brasileiro. É uma pessoa extremamente exigente, elétrica"

Sobre a saída do Alessandro para Coudet: "Conversamos com ele (Eduardo Coudet) após a saída do Alessandro (Barcellos, ex-vice de futebol), colocamos para ele a realidade do clube. Ele está afinado com o Internacional, com o Conselho de Gestão do clube. Internamente, ele é muito bem quisto pelos atletas, tem uma relação muito boa com eles. Ele entende das dificuldades dos atletas".

As críticas de Coudet ao elenco: "A gente entende que temos sim elenco para disputar as três competições. Vamos brigar pela classificação contra o Cali, vamos brigar para estar entre os primeiros no Campeonato Brasileiro para buscar um sprint final".

A decisão do presidente: "Acho que o presidente tomou uma decisão forte em relação a esses vice-presidentes. Vou respeitar o encaminhamento que ele deu. Infelizmente, fui voto vencido. E bola pra frente".

"Acho que tem de ter, sim, a divergência política (no Conselho de Gestão). Mas o mais importante é termos pessoas que são complementares, que tenham conhecimentos sobre várias situações dentro e fora de um clube de futebol"

"Eu não participei de nada, repudio qualquer menção, e desafio alguém a falar que participei de qualquer articulação política. Venho sempre defendendo que temos de fortalecer a gestão, tornar ela inclusiva"

Sobre a última entrevista de Coudet sobre o elenco: "Acho que quando ele (Eduardo Coudet) se refere a isso (não ter capacidade para três competições), se refere a um grupo que tem lesões, que tem atletas amadurecendo. Ele não está, de forma alguma, insatisfeito com o grupo".

Risco de ser demitido nos próximos dias em caso de derrota? "O Eduardo Coudet faz um trabalho muito bom, não vamos analisar ele por uma questão única, pelo Gre-Nal. Agora, o foco é na Libertadores, no jogo de amanhã. Depois, a gente vira a chave para o Gre-Nal"

Categorias

Ver todas categorias

Tu gostou da nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

254 pessoas já votaram